Arquivos Mensais: dezembro \29\-03:00 2020

Aprendendo a Aprender


As oportunidades de aprendizado nos são oferecidas a cada momento, o tempo todo. Aprendemos toda vez que nos damos ao trabalho de pensar sobre o que determinado momento nos trouxe, o que nos ensinou que ainda não sabíamos, o que nos mostrou a respeito dos outros e de nós mesmos, e que antes ignorávamos. E esse processo é tão longo quanto a vida.

O caminho mais curto e certo para a estagnação é perder a disposição de aprender, seja pela arrogância de achar que já sabe tudo, seja pela enganosa convicção de que é cedo demais para adquirir tal conhecimento. A acomodação é outra inimiga do aprendizado, pois paralisa o segundo requisito necessário para que ele ocorra: o esforço. É preciso esforçar-se para manter a mente aberta ao novo, para não se deixar limitar pelos preconceitos e opiniões preconcebidas. E também é preciso esforço para ampliar as oportunidades de aprendizado, reservando tempo para as leituras, para as conversas e atividades instrutivas, para se atualizar e aprofundar seu conhecimento.

Não refiro apenas ao conhecimento necessário à sua profissão, mas a todos os aspectos de sua vida, por exemplo, conhecer mais a fundo sua família – acreditar que já sabemos tudo sobre nossos familiares é um erro fatal em qualquer tipo de relacionamento. Outro equívoco é negligenciar o autoconhecimento: uma série de frustrações, angústias e motivações. Conhecê-las também é um aprendizado constante, talvez o mais árduo de todos.

“Todas me pareceram tão cheias de si”, contou Sócrates, “tão seguras de suas verdades e certezas que, se sou de fato mais sábio do que elas, é pela simples razão de que sei de que não sei aquilo que elas acham que sabem”. Como nos sugere o filósofo com toda a sua perspicácia e sabedoria, a admissão de que ainda temos muito a aprender é o primeiro passo para transformarmos nossa vida em um constante aprendizado. A consciência desse fato enriquece nossas vidas, ampara nossas escolhas e direciona nossas ações. A importância de aprender sempre é tamanha que Stephen R. Covey, autor do best-seller Os 7 Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes e 8° Hábito, a coloca entre as quatro necessidades básicas do ser humano – as demais serão afetadas.

O aprendizado, porém, está presente em todas: aprendemos a viver, a amar, a deixar um legado e, até mesmo, aprendemos a aprender.

COMPARATIVE STUDY BETWEEN THE SLEEVE GASTRECTOMY AND GASTRIC PLICATION IN OBESE RATS

INTRODUCTION: Obesity results from a prolonged imbalance between energy intake and energy expenditure. Studies with experimental models of bariatric surgery provided a fundamental contribution to the understanding of morphological and functional changes in obesity and after bariatric surgery. The restrictive bariatric surgery techniques currently used are gastric banding, sleeve gastrectomy and the gastric plication. The latter is considered an experimental technique and has therefore not yet enough studies that shed light on the postoperative rates of weight loss, surgical complications, resolution of comorbidities and the mechanisms responsible for weight loss. The aim of this study was to conduct a comparative study in rats with cafeteria diet-induced, between gastric plication and sleeve gastrectomy in variation late postoperative in body weight ,plasma biochemistry and gross and microscopic alterations gastric effects obesity.

MATERIAL AND METHOD: 28 male Wistar rats were randomized into three groups after induction period of obesity by cafeteria diet and underwent sleeve gastrectomy (GV group), gastric plication (GP group) and sham operation (control group). The animals were assessed daily postoperatively and the variables were recorded: (initial seven days, 14 and 21 days) body weight and presence of complications until day 21 postoperatively, when they were euthanized and evaluated: biochemistry (glucose, insulin, HDL, total cholesterol, triglycerides, AST, ALT and serum ghrelin), degree of intra-abdominal adhesions, resistance testing will air insufflation in the stomach and microscopic evaluation of the gastric mucosa.

RESULTS: In relation to body weight variation of animals GV group (initial weight: 318 ± 7.89 g / Final weight: 213 ± 9.03g) was significantly decreased (p<0.05) at 21 post-surgery day compared to the GP group (initial weight: 314.11 ± 20.79 g / final weight: 239.16 ± 14.71 g) and control (initial weight: 315.16±17.54g / final weight: 317.91±16.06 g). The animals in the GV group had a significant decrease (p<0.001) in blood glucose, insulin, transaminases, serum HDL and ghrelin compared to animals in GP and control. Was also significantly lower the burst pressure of the stomach in the GV group, the insufflation test the atmospheric air in relation to the GP and control groups. The GP and GV groups showed even different histological grade of inflammation
(subacute inflammation) and control group (chronic inflammation).

CONCLUSIONS: The sleeve gastrectomy is more effective than gastric plication weight loss, metabolic control and reduction of serum ghrelin in obesity rats, and presents the same rates of postoperative complications (adhesions, deaths and grade inflammation).

KEYWORDS: 1. Obesity; 2. Bariatric Surgery; 3.Wistar rats.

Liderança Cirúrgica

Tradicionalmente, a marca de um grande cirurgião está relacionada à habilidade técnica, conhecimento e perspicácia diagnóstica, enquanto pouco foco é dado a outras habilidades de Liderança. Hoje, as habilidades não técnicas, como habilidades de comunicação e liderança, acabam se traduzindo em maior segurança do paciente, experiência e resultados. O dia em que o cirurgião inicia seu primeiro trabalho o define como um líder, e isso é particularmente verdadeiro para o cirurgião do Aparelho Digestivo, pois é imediatamente considerado um especialista. Os cirurgiões são líderes preparados para aproveitar as muitas oportunidades de desempenho que as posições acadêmicas fornecem para executar seus interesses fora do atendimento tradicional ao paciente. Algumas pessoas nascem com habilidades de liderança e outras as desenvolvem com o tempo. É claro que esse processo deve começar cedo e que os estudantes de medicina e residentes devem estar preparados para papéis de liderança conforme RODRIGO VIANA explica neste vídeo para ajudar no desenvolvimento das habilidades críticas e não clínicas relacionadas à liderança de uma equipe e ao ensino. Para alguns, os papéis principais podem mudar ou desviar a carreira do atendimento ao paciente. Para outros, um equilíbrio entre as carreiras clínicas e administrativas pode ser cumprido em um papel definido. Independentemente disso, estabelecer metas e trabalhar para alcançá-las dentro da construção de uma equipe é a marca de todos os líderes de sucesso.

Caminho das Pedras
%d blogueiros gostam disto: